Impasse no mundo SAP

Na Economia da Experiência, a SAP acelerou e alcançou um valor de mercado recorde de US$ 153 bilhões. A força financeira e a estratégia certeira na disputa em torno da tecnologia cloud trouxeram crescimento de 17% nos deals combinados de licença em nuvem e software já no primeiro quarter deste ano fiscal. Dessa forma, as reservas na nuvem aumentaram 32% e a receita decorrente das licenças de software chegam a 4% ano a ano, segundo informações da SAP na abertura do SAPPHIRE NOW 2019. A análise do mercado brasileiro de soluções SAP aponta para uma queda-de-braço entre SAP e seus clientes, o que pode trazer prejuízo para os dois lados, considerando a nova engrenagem do mercado, que gira na velocidade do desejo do consumidor.

O que pode ser considerado um impasse no mundo SAP?

Há 1.300 sistemas rodando no País que, conforme a orientação da SAP, deveriam migrar para o S/4HANA antes de 2025, prazo dado como limite para o fim da manutenção da antiga versão, de acordo com o relatório The 2019 ISG Provider Lens SAP Hana and Leonardo Ecosystems Report for Brazil, da empresa líder em research e consultoria Information Services Group (ISG). Considerando que o processo, segundo a SAP, leva entre seis e nove meses, dependendo da sua complexidade, seria de se esperar que o mercado estivesse num ritmo muito mais acelerado do que se vê hoje.

A razão é a tentativa dos clientes de receber da SAP incentivos para a evolução do sistema.  O relatório da ISG mostra que empresas instaladas no Brasil que hoje compram licenças HANA o fazem, em grande parte, apenas para atender as regras de licenciamento, mas não têm a intenção de atualizar a tecnologia anterior neste momento. Para os parceiros da SAP, as oportunidades de negócios decorrentes dessa demanda são inspiradoras. Mas se a queda de braço persistir e as decisões continuarem reprimidas até o prazo limite, as chances de sobrecarga entre os parceiros será considerável, o que pode afetar a qualidade na entrega e, pior, o comprometimento das operações das companhias onde a tecnologia SAP roda.

Trabalhando para clientes SAP desde 1993, quando a empresa alemã desembarcou no Brasil como parte do Grupo Philips (Origin), testemunhei seu crescimento, tanto na conquista dos seus mais de 3.700 clientes, quanto nas várias fases da evolução da tecnologia. Asseguro que o que está por vir – ou já deveria estar ocorrendo aqui – é a mais ampla e profunda das (r)evoluções.

Quais são as oportunidades de revolucionar sua empresa, não só o ERP?

A nova onda de inovação não é apenas uma decisão da SAP, mas uma determinação dos mercados local e global, da sociedade em geral, da Economia da Experiência, que exigem das indústrias, sem exceção, o entendimento do consumidor e o uso extremo de dados. São insights baseados nestes dados, o que definirá suas decisões, modelos de negócios, experiências ao cliente e, consequentemente, o próprio futuro das companhias.

Enquanto as grandes empresas esperam, o mercado das médias está adotando o S/4HANA, implementando a tecnologia no modelo greenfield, substituindo sistemas in-house ou tecnologias SAP ultrapassadas, conforme a pesquisa da ISG. Há aqui outro ponto de atenção, uma vez que inovação traz insights e a estratégia desenhada com base neles pode assegurar crescimento em progressão geométrica para as médias empresas. Por maior que seja a distância entre elas e as grandes organizações, o impacto não é desprezível quando o que elas oferecem é o atendimento da individualidade que todo consumidor espera, de maneira ágil e escalável. Versões de unicórnios também se multiplicam no middle market, em tempos em que negócios se transformam em plataformas.

Na abertura do SAPPHIRE NOW 2019, Bill McDermott, CEO da SAP, lembrou que suas pesquisas mostram que 80% dos CEOs acreditam estar oferecendo experiências para os consumidores. Mas apenas 8% da clientela confirma que, efetivamente, está recebendo tratamento diferenciado e experiências únicas. O impasse atual no Brasil pode agravar essa percepção, o que será negativo para todos.

Que descobrir como sua empresa pode vencer o impasse e inovar na era da economia da experiência? Entre em contato com o time de especialistas da minha equipe e debateremos sobre as alternativas para sua empresa.

 

Sobre o autor: José Carlos Pimentel é o Country Manager da GSW Business Solutions, empresa com foco exclusivo na implantação, suporte e melhorias do sistema SAP.